Arquivo da categoria: Cultura e Arte

10 Mandamentos da Saúde

Outro dia estava lendo um livro curto, porém muito rico. Trata de educação voltada a saúde e bem estar. Pelo fato de possuir poucas páginas, o autor, Dr. José Wagner Papini tem um foco específico, vai direto ao assunto sem muitos rodeios e sem grande aprofundamento. Tem o objetivo de nos dar dicas sobre como devemos cuidar de nossa saúde, combater o estresse do cotidiano e viver melhor. Sob o título “Aos Nervosos e Estressados: um caminho para a cura“, tem como ponto alto, a meu ver, os 10 Mandamentos da Saúde, como denomina o autor.

Depois de relatar algumas experiências e detalhar sobre os mandamentos citados, ele faz um resumo, o qual compartilho com você, caro leitor, afinal de contas o cotidiano de muita gente é bastante dinâmico, e a educação da saúde é fundamental para melhorar nosso dia-a-dia. Então vamos lá, eis os 10 mandamentos da saúde, de forma resumida:

  1. RESPIRAÇÃO: fazer exercícios respiratórios. Sessões de inspirações e expirações, três vezes ao dia;
  2. CAMINHAR: fazer caminhadas de trinta minutos todos os dias. De preferência no período da manhã;
  3. HIDRATAÇÃO: ingerir bastante líquido durante todo o dia. Quatro litros. Exagero? Não. Necessidade. Sob a forma de sucos naturais, laranja, limão, abacaxi, melão, chás, leite e água, naturalmente.
  4. SAL: utilizar pouca quantidade nos alimentos. O sal retém água no organismo, levando a problemas de saúde;
  5. GORDURAS: evita-las na alimentação. Preferir óleo de milho ou girassol;
  6. ALIMENTOS À BASE DE FIBRAS: consumir verduras, legumes, hortaliças e frutas em abundância;
  7. SONO: deve ser reparador. Deixar os problemas do lado de fora da porta do quarto e dormir;
  8. NÃO FUMAR: evitar nicotina, alcatrão e suas toxinas;
  9. EVITAR BEBIDAS ALCOÓLICAS: não intoxicar-se. O fígado é um dos órgãos mais nobres do corpo;
  10. PAZ DE ESPÍRITO: manter a paz com os semelhantes e com Deus. Primordial. Mergulhar no silêncio completo de Deus.
Anúncios

Amigos da Escola 10 Anos

(Clique nas imagens para ver os albuns)

O grupo Amigos da Escola de Santo Antônio completou 10 anos de solidariedade. No último dia 04 de dezembro foi feita a distribuição anual de material escolar e cestas básicas aos alunos das escola Santo Antônio e Bom Futuro, na localidade Guajará Mirim, da cidade de Bujarú-PA. Já escrevi a respeito deste grupo aqui no blog. Não é uma ONG, quem sabe um dia! É um grupo de pessoas, em sua maior parte oriundos das famílias Freitas, Dias e Lima, que decidiram ajudar no desenvolvimento educacional dos estudantes dessas duas escolas. Atualmente conseguem arrecadação com colaboradores físicos e empresas.

AmigosEscola2011

Muitos dos colaboradores vão de carro, mas é fretado também um ônibus, onde a diversão lá dentro não para, e a quantidade de doações é tão grande que um caminhão é necessário para o transporte.

O evento como um todo é uma festa, tanto para os colaboradores como para a população local. Muitas pessoas doam roupas e calçados, e estes são vendidas, na chamada “Pechincha”, ao preço simbólico de R$ 1,00, o valor arrecadado é dado às escolas para investimentos em melhorias. Ninguém consegue ficar sério com as brincadeiras, os “modelos” exibem algumas peças para ajudar aos moradores na escolha de suas compras.

AmigosEscola2011Pechincha

Os moradores da localidade aproveitam para fazer uma renda extra na venda de comidas e bebidas, mas para aqueles que não podem pagar, os Amigos da Escola levam lanche, refrigerante e água para distribuir, principalmente às crianças.

No decorrer destes anos alguns passos importantes foram dados. O número de contribuintes aumentou, já foram doados computadores, televisão, aparelhos de DVD, caixa de som, muitos livros, foi estruturado um banheiro de alvenaria, dentre outras ações. Sempre há novidades, muitas brincadeiras para as crianças e participação dos pais também. Os alunos, professores e outros moradores sempre expressam sua gratidão com palavras, cartazes, e apresentações, como foi a da Andreza, que mais uma vez mostrou sua arte na dança.

AmigosEscola2011Apresentacoes

Os Amigos da Escola recebem uma lista com a relação de alunos das escolas municipais Santo Antônio e Bom Futuro, então preparam e doam a estes kits com material escolar, inclusive mochila, brinquedos e cesta básica de alimentos aos seus pais. Depois, na tentativa de agradar e colaborar com outros moradores, é formado uma outra fila para doar brinquedos e cesta básica às crianças e adultos que não fazem parte da escola.

AmigosEscola2011Distribuicao

Arte Ribeiro

Hoje gostaria de falar sobre a arte Ribeiro. Trata-se do artista plástico Adriano Ribeiro, o qual produz quadros com textura, e para isso utiliza materiais típicos da Amazônia, como sementes, cuias e raízes. O resultado é uma verdadeira obra de arte! Leva cada um a imaginar qual seria o significado daquela obra, e cada vez que se vê é descoberto algo mais, uma tonalidade, alguma textura que não tinha reparado antes. As obras são ricas em detalhes, algumas parecem fósseis, porém com características do presente. Vale a pena vislumbrar estes quadros.

O artista é genuinamente paraense. Viveu em Ananindeua por mais de 20 anos, e hoje reside na Itália, onde foi contemplado com o sucesso de suas obras, ganhando alguns prêmios.

Caso queira conhecer mais, visite seu site clicando aqui.

Até mais!

Paraísos sem lixo

Curtir um balneário, piscina, igarapé, rio ou praia é muito bom, pelo menos não ouvi ninguém dizer o contrário. No período de férias ou finais de semana é mais comum sair do cotidiano e relaxar em um lugar diferente, mesmo que seja perto de casa, como praças, cinema, shopping ou algo parecido. Qualquer uma dessas opções é bom pra descansar o corpo e a mente.

No Pará há muitos lugares que são dignos de serem chamados paraísos” por causa de sua beleza natural, porém, infelizmente, há os que não colaboram na sua conservação com uma simples atitude: jogar lixo onde não deve.

Esta atitude parece que faz parte da cultura de muita gente, não só em lugares de lazer, mas na cidade, em seu próprio bairro. Já presenciei várias atitudes e comportamentos que parecem naturais destas pessoas. Certo dia vi uma adolescente jogar o papel do seu bombom no chão, perto da lixeira, pedi a ela que não jogasse alí, ela respondeu que o chão estava sujo. Ora, será isso uma justificativa válida? Então é melhor que contribuamos com a sujeira do que com a limpeza?

Pior ainda é ver nossos rios, igarapés e praias cheios de lixo. A consciência de muita gente precisa ser mudada. Existe um grupo na praia do Paraíso, em Mosqueiro, que está trabalhando forte para isso. Coordenados pela Sra. Paula, o movimento Amigos da Praia do Paraíso conseguiu camburões para armazenar o lixo, fez alguns multirões para limpar a praia e tenta mudar a mentalidade dos visitantes para não deixar seu lixo por lá, se não tiver onde jogar junte numa sacola e o descarte em um recipiente apropriado. Eles buscam apoio também dos barraqueiros, pois são fortes aliados na preservação e fiscalização junto a seus clientes.

Que surjam muitos grupos como estes! Vamos nos aliar a esta causa, ela é em nosso próprio benefício. Não é melhor passear em um lugar limpo?

Veja algumas fotos da praia do Paraíso clicando aqui.

Abraços!

Outras Dimensões

Rodrigo Moreno nos apresenta seu novo livro: Outras Dimensões. Seguindo o gênero do primeiro, ele traz 10 contos de suspense e terror, os quais o autor continua seu estilo com finais imprevisíveis e muita das vezes intrigante. Ao iniciar a leitura dá realmente vontade de ir até o final e descobrir como será o desfecho daquela estória.

O jovem autor paraense lançou ano passado seu primeiro livro, comentado aqui no blog também. Desta vez ele investe na produção independente, uma tendência permitida pelos avanços da tecnologia, seguida também por outras áreas artísticas, como a música e o cinema.

Ainda não lançado oficialmente, o livro por enquanto está disponível para venda apenas entrando em contato diretamente com o autor, aí você aproveita e compra já autografado, como eu :).

Abraços, e até a próxima!

Lenda do Açaí

FOTO: Leandro Farias

O Açaí é uma fruta famosa no Brasil inteiro, inclusive em outros países, porém seu consumo na Amazônia é em massa. Em Belém existe até uma expressão envolvendo o fruto: “Açaí de 10”. Quando alguém quer chamar outra de grossa, arrogante, diz-se que ela é um açaí de 10. Não entendeu? Vou explicar: No Pará o fruto é vendido ao usuário final em líquido, e geralmente é batido na hora em que se compra, ali na frente do cliente. No período de safra o preço do litro é algo em torno de R$ 3,00, mas se o consumidor quiser um pouco mais grosso, o batedor diminui a quantidade de água e cobra uns dois ou três reais a mais, temos então o açaí normal, o médio e o grosso, que custa aproximadamente R$ 8,00 (no período de safa). Este último é conhecido também pelo termo “açaí papa”, pois a espessura lembra a papa de neném. Então imagina como seria o açaí de R$ 10,00?

Bem, indo ao tema da publicação de hoje, diz a lenda que uma tribo estava passando um período de crise em suas colheitas, com isso estavam com pouco alimento. Para resolver o problema o cacique Itaki decide que ninguém mais poderia ter filhos, caso alguma criança viesse a nascer seria sacrificada. Sua filha, Iaçá, porém descumpriu a regra, e mesmo sendo a filha do cacique teve sua filha sacrificada. Ela, como não poderia deixar de ser, ficou muito triste, e certa noite ouviu o choro de uma criança na mata. No mesmo instante foi em busca, e para sua surpresa era seu bebê. Repleta de felicidade, correu para abraçar a criança, porém ela desapareceu como num passe de mágica, Iaçá então desfaleceu. No dia seguinte o cacique sentiu falta da filha e mandou seus guerreiros irem em busca dela, que acabou sendo encontrada morta abraçada ao pé de uma palmeira desconhecida. Os índios perceberam que ela tinha um sorriso bem expressivo no rosto e estava de olhos abertos, fitando os frutos da palmeira. O cacique ordenou que se fizesse um suco daquele fruto, e ao provar constatou que era saboroso e fortificante, então, em homenagem a filha, inverteu seu nome e batizou a fruta de Açaí. A partir daí a tribo cultivou o fruto, não passou mais fome e não precisou mais sacrificar suas crianças.

Hino de Ananindeua

Informações obtidas com a contribuição de Lúcia Araujo, a qual, dentre outras atividades, é idealizadora e mantenedora do blog http://luciaaraujoama.blogspot.com

 

Autora: Cleucydia Lima da Costa
Cleucydia Lima da Costa é Licenciada Plena em Psicologia (Unama1992), Bacharel e Psicóloga-Universidade Católica de Goiás (2001) e graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás (2000). Em Nível de pós graduação especializou-se em Psicologia da Educação pela PUC/MG(1995). Atualmente está cursando o Mestrado em Ciências do Comportamento UNB (2009). É professora em tempo integral da Faculdade Alfredo Nasser (Graduação e Pós graduação), Instituição na qual coordena o Núcleo de apoio Terapêutico e Psicopedagógico – NATPSI, como Pedagoga/Psicóloga (em licença pra aprimoramento), Secretaria Municipal de Educação de Goiânia, e Psicóloga clínica do Centro Clínico Integrado. Tem experiência na área de Psicologia e Educação, com ênfase em Atendimento Psicológico e Docência universitária.

Bandeira de Ananindeua

I

No passado remoto surgiu

Junto ao Norte, Pará, no Brasil

“Na Estrada de Ferro Bragança”

Povoado de grande esperança

Que através da união conquistou

Esta terra de grande valor

Verde solo, ostentante  do Fruto Ananin”

E almejante de glória sem fim

Refrão

Salve esta terra!

Que é firme, mui forte!

Força, progresso, orgulho do Norte

Ananindeua, teu lume Fabril

Reluz em todo Brasil

 

II

Sendo teu porte quase central

Teu domínio era da capital

Cobiçada foi tua grandeza

Tua força e tua riqueza.

Mas teus filhos lutaram então

Pra conquista de libertação

E este pago de afago e do “Fruto Ananin”

Altivou-se à glória sem fim

 

III

Em teu colo ostentas a paz

Polidez e madeira eficaz

Desde outrora. “O SITIO. O CURTUME.”

Revelaram o fulgor de teu lume

Em tuas veias sempre hás de sentir

O pulsar-coração Maguary

Em tua alma, a “Graça” a glória sem fim

E o cantar de teu povo assim.

Sarau IEEP 2010

O IV Sarau do colégio IEEP, Instituto de Educação Estadual do Pará, iniciou no dia 16/12, por volta das 19h00, com as palavras do professor João de Jesus Paes Loureiro e do diretor da escola Emmanuel Freitas.

O evento já é tradição na escola, e mais uma vez contou com a participação de ilustres convidados, como o próprio professor João de Jesus Paes Loureiro, A Samband, a banda de jazz do Serviço de Atividades Musicais – SAM da Universidade Federal do Pará, Grupo parafolclórico Uirapuru do IEEP, entre outros, além do belíssimo empenho dos alunos desta escola, com trabalhos escolares e apresentações artísticas. O evento se extendeu por todo o dia 17. Confira abaixo algumas fotos. Mais informações podem ser vistas também no blog oficial do colégio clicando aqui.

Slides:

http://picasaweb.google.com/s/c/bin/slideshow.swf

Fotos:

IEEPSarau2010

IEEP dia do estudante

A noite de comemoração do dia do estudante no IEEP foi só alegria. O turno da noite preparou uma festinha, com comes e bebes e música ao vivo, estrelando o professor Elias. Na ocasião foi distribuido aos alunos o kit do material didático. Confira clicando na foto.

Ieep

Amigos da Escola

No mês de dezembro já virou tradição a família Freitas fazer uma manhã alegre na localidade Guajará Mirin, no município de Bujarú-PA. O evento ocorre já a alguns anos em um domingo, geralmente no início do mês de dezembro.

A família Freitas viveu lá em sua infância e pôde sentir na pele a batalha que aquele povo enfrenta. Na tentativa de mudar essa realidade, juntou esforços entre os familiares e amigos no sentido de arrecadar entre eles e em algumas empresas e órgãos públicos doações de material escolar, alimentos, roupas e brinquedos para serem doados neste dia. O foco são duas escolas, Santo Antônio e Bom futuro. Aos alunos destas são doados kit escolar e brinquedos, aos pais uma cesta básica. Como o evento chama atenção, aparecem pais e crianças das proximidades, a estes também são distribuídos cestas básicas e brinquedos, porém como o número dessas pessoas é imprevisível, não é possível determinar que todos serão beneficiados, mas podem usufruir do lanche que é doado, da pechincha de roupas e calçados usados, que sai algo em torno de R$0,50 a R$ 1,00 a peça ou par de calçado, além de desfrutarem da manhã alegre que é o evento.

As doações variam a cada ano. A escola sempre recebe algum benefício também, como televisão, computador, material de construção, e o que mais este grupo totalmente voluntario consegue arrecadar. Dou enfase no voluntariado porque realmente não é exigido nada em troca. Não há políticos ou empresários que fazem algum tipo de mídia. A única coisa que é pedida é o empenho nos estudos.

O evento é uma festa para todos. Há brincadeiras, concurso de danças infantil e adulto, a comunidade aproveita para montar suas barracas de vendas, levam equipamento de som para animar o dia, grupos de alunos preparam alguma apresentação como dança ou falar algumas palavras sobre como é seu dia-a-dia e como foi o aproveitamento escolar, os pais também interagem, e no final da manhã todos se alegram e se emocionam.

O grupo se auto denominou “Amigos da Escola”, mas não há nenhum vínculo com o grupo de mesmo nome apoiado pela rede Globo.

Acompanhe alguns desses momentos com as fotos abaixo.

Se não conseguir ver os slides, no final da página estão as fotos para ver isoladamente.

http://picasaweb.google.com/s/c/bin/slideshow.swf

http://picasaweb.google.com/s/c/bin/slideshow.swf

http://picasaweb.google.com/s/c/bin/slideshow.swf

Fotos

AmigosDaEscola
ComunidadeGuajaráMirin
ApresentaçãoAndreza